AGÊNCIA EMPREENDEDORA DE INOVAÇÃO & TECNOLOGIA

PROJETOS REALIZADOS

Como agentes socialmente responsáveis, as unidades de ensino superior devem buscar cumprir um papel cidadão que possibilite aos acadêmicos a noção de responsabilidade para com a comunidade na qual está inserida. Neste sentido, a proposta deste trabalho como sugere o próprio título, gira entorno da importância e necessidade da valorização do ser humano através de ações voltadas à solidariedade.
O trabalho apresenta e enfatiza o conceito teórico da palavra “Solidariedade” que em seu sentido mais amplo está diretamente relacionada ao respeito, ação em conjunto e desenvolvimento de valores. As atividades solidárias fazem parte da cultura brasileira, fato este que vem amenizando algumas carências de parte da população, porém tal fato reflete uma característica notável no povo brasileiro: a solidariedade é tida como a capacidade de compartilhar os sofrimentos de outras pessoas e, literalmente, colocar dedicar-se para ajudá-las com ações solidárias.
O exercício da cidadania implica no acesso a um conjunto básico de direitos: civis, políticos e sociais, indissociáveis entre si e resultado de lutas e movimentos seculares promovidos por extratos da população de cada país, em momentos específicos da história. Sendo assim, as unidades de ensino superior percebem a necessidade em se trabalhar algumas atividades de extensão como forma de inserção no contexto socioeconômico do país, prestando assistência direta e especifica à unidades/entidades beneficentes. 
Este projeto de extensão visa certamente contribuir para reflexões acerca de nossa comunidade, além de despertar nos acadêmicos da Faculdade de Iporá – FAI a responsabilidade de iniciar um desafio, que proporciona sentimentos diversos e estímulos diante das dificuldades e oportunidades inerentes à desigualdade em que vivenciamos. É neste sentido que surge a necessidade de trabalhar a solidariedade nas instituições de nível superior e em sala de aula, sendo a Faculdade um espaço importante para a construção da democracia, onde se devem orientar os discentes a conhecerem seus direitos e deveres, vivenciando os princípios de igualdade.  A qualidade na educação é mais do que uma boa formação moral e sim social.
Este busca vivenciar a solidariedade e cidadania por meio da realização de trote solidário, onde os acadêmicos dos cursos ofertados pela FAI prestam atendimento especifico à unidades beneficentes com ações voltadas à prática de seu curso.
  
- Estimular a valorização do ser humano através de ações de solidariedade e cidadania;
- Envolver alunos calouros e veteranos em ações de solidariedade e fraternidade;
- Integrar as instituições e empresas que trabalham pelo social e pela cidadania ao respectivo projeto, realizando assim novas parcerias;
-  Adotar no cotidiano da FAI, atitudes de solidariedade, cooperação e doação de atendimento especifico de cada curso sob supervisão de seu coordenador;
- Analisar o conceito de solidariedade e cidadania em sala de aula;
- Refletir a respeito de solidariedade com o intuito de legitimá-la no meio acadêmico;
- Arrecadar e distribuir alimentos, utensílios, roupas, brinquedos e calçados às unidades participantes dos projetos;
- Dar assistência específica de acordo com o curso, esclarecimentos, assessoria e subsídios necessários para a manutenção e bom funcionamento da unidade a ser beneficiada com a ação;
É um evento para promover trabalho em equipe entre os cursos, aplicando a prática das aulas teóricas. A FAIDRILHA será uma excelente oportunidade de engajar diversas atividades interdisciplinares e ampliar o universo linguístico, pois se constitui uma temática rica onde podem ser explorados diversos tipos de linguagens, resgate de brincadeiras, culinária típica e outros!
Este projeto visa integrar a comemoração das festas tipicas e tematicas, a quadrilha mesmo fora de epoca se torna uma festa mais animada e mais propicia para interação de nossos alunos que será realizado no mês de agosto o projeto que nossa faculdade já vem desenvolvendo: Resgate Social, o qual procura exercer a cidadania através de ações concretas, solidárias e participativas, em benefício e melhoria de vida, com o intuito de resgatar a nossa cultura e haver uma integração maior entre comunidade acadêmica, docentes, funcionários e comunidade em geral é que esse projeto se realiza.
Compreender a historia de festas juninas, bem como seu valor dentro do folclore brasileiro, destacando o estado de Goiás seus aspectos sociais e religiosos. Sabemos que em todo o Brasil são muitas as faculdades que comemoram a Festas Juninas. Hoje de diferentes formas: internamente, com estudantes, professores e funcionários, ou incluindo a família. O papel da faculdade como divulgadora de cultura é muito importante nestas datas, reforçando valores e tradições.
Dessa forma, cabe a faculdade como instituição social, não somente reproduzir conteúdos dissociados da realidade social do educando, mas promover o resgate e a valorização das identidades individuais e sociais, respeitando todas as formas de expressões culturais.
Nesta perspectiva desenvolve-se este projeto objetivando resgatar valores culturais da nossa gente, ao mesmo tempo oportunizar aos educandos vivenciarem os projetos juninos tão tradicionais para a nossa região, instigando a interação entre os mesmos e estimulando valores, tais como solidariedade, respeito mútuo, justiça e diálogo.
Incentiva nos acadêmicos o gosto pelas festas tradicionais, oferecendo-lhes oportunidade de descontração, socialização e ampliação de seu conhecimento através de atividades diversificadas, brincadeiras, pesquisa e apresentações características destes festejos que fazem parte do folclore brasileiro, ressaltando seus aspectos, popular, social e cultural.
Introdução
Existem muitos conceitos e ideias a respeito de ‘responsabilidade social’. Ética, sustentabilidade, ações voluntárias, entre outros. Este termo tem ganhado cada vez mais repercussão, ao longo dos anos.
A assistência, no seu sentido mais lato, significa auxílio, socorro. Onde quer que haja uma necessidade que o interessado não pode resolver por si e não consiga pagar com dinheiro, a assistência tem o seu lugar. Assistência aos famintos, a sedentos, nus, desabrigados, doentes, tristes, ativos, transviados, impacientes, desesperados, mal aconselhados, pobres de pão ou pobres de consolação, tudo é assistência, auxílio, socorro.” (Correia, 1999).
Justificativa
O Projeto “Criando Laços” visa a relação entre a comunidade acadêmica da FAI com a população iporaense, através da parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, buscando benefícios sociais para a comunidade. Almejando levar, além de atendimentos gratuitos nos mais diversos setores à população da cidade de Iporá, contribuir também na relação teoria/prática dos alunos envolvidos no projeto.

Objetivo
Promover o fortalecimento de vínculo familiares, através de serviços de acolhimento, oficinas temáticas, atividades lúdicas para crianças e atendimento especializado aos usuários da assistência social com abordagem e prevenção da violência, propiciando assim experiências favorecedoras do desenvolvimento de capacidades e potencialidades, com vistas ao alcance de alternativas emancipatórias na prevenção de situações de risco social familiar.
Objetivos específicos
  • Promover no dia do evento a doação de cestas básicas arrecadas na campanha do vestibular social da FAI;
  • Realizar atendimentos jurídicos, psicológicos, pedagógico e de saúde básica gratuitos à população que aqui se fizer presente;
  • Potencializar um movimento no contexto educacional, contribuindo com o trabalho da Assistência Social;
  • Fortalecer o vínculo familiar;
  • Exercitar a cooperação e o trabalho em equipe;
  • Promover ações de prevenção, articulação e mobilização, visando o fim da violência;
  • Fortalecer o sistema de defesa e responsabilização.
Público alvo
O Projeto “Criando Laços” é um evento aberto destinado à comunidade discente dos cursos de Direito, Enfermagem, Farmácia, Pedagogia, Psicologia e toda a comunidade iporaense.
JUSTIFICATIVA 
A realização da Semana integrada de cursos, é parte integrante do calendário acadêmico da Faculdade de Iporá, como exigência institucional e compõe a Semana Acadêmica. Como premissa básica, a semana deve ser caracterizada por atividades que contribuam para a formação do acadêmico.
É ofertado palestras, oficinas e minicursos, como objetivo fundamental a busca pela expansão e pelo aprofundamento do conhecimento em suas áreas afins. O evento oportuniza a vinda de palestrantes oriundo de diversas áreas de atuação farmacêutica, estimulando o perfil empreendedor do acadêmico e objetivando a exposição de novas experiências, renovação de conhecimento e inter-relacionamento da comunidade acadêmica.
A IV edição da Semana de Assistência Farmacêutica tem como foco o empreendedorismo farmacêutico, aplicando o tema a “Gestão Farmacêutica no Sucesso Profissional”, procurando estimular o espirito empreendedor e sanar dúvidas e curiosidades do mercado profissional.
ORGANIZAÇÃO
Este projeto foi desenvolvido pela Agência Empreendedora de Inovação e Tecnologia- FAI juntamente com as Coordenações dos Cursos da FAI.
OBJETIVO
Possibilitar aos acadêmicos a atualização de temas relevantes e despertarem para a importância dos conteúdos ministrados visando à ampliação dos seus conhecimentos e visão crítica da profissão e de áreas de atuação promissoras. Integrar acadêmicos, professores e profissionais, visando a busca de novas informações a respeito da profissão, além de estreitar o contato com a realidade da gestão farmacêutica no mercado de trabalho.
INTERDISCIPLINARIDADE
   Nota-se, na realização deste projeto, a importância da ação interdisciplinar entre os acadêmicos e a comunidade, com o objetivo de relacionar a teoria com a prática.
   A comunidade acadêmica FAI está crescendo fortemente com os recentes projetos apresentados pelo seu corpo discente e docente. Pretende-se caminhar muito no sentido de disponibilizar uma educação de qualidade, coerentemente com sua missão.
CERTIFICAÇÃO
O certificado dos alunos participantes (conforme a lista que será entregue pela coordenação de cada curso) serão emitidos pela instituição FAI através da Agência de Negócios e Inovação Tecnológica com.
O povo Brasileiro é considerado empreendedor, tem muita ousadia e coragem. Desde a descoberta, os colonizadores trouxeram a cultura capitalista, a ideia de mão de obra, compra e venda e o acúmulo de riquezas. Traziam nas veias a aventura de morar em terras desconhecidas, a vontade de possuírem novas oportunidades.
As primeiras empresas brasileiras nasceram de imigrantes ou filhos de imigrantes, durante e depois da Segunda Guerra Mundial. E foi daí que surgiu a cultura empreendedora com o brasileiro sendo empregado pelos imigrantes. A empregabilidade soava como segurança e isso fez com que as famílias e as escolas não preparassem o nosso “ouro” (o empreendedor brasileiro).
Pequenas empresas da nossa região são responsáveis por grande parte dos empregos e que são essenciais para o desenvolvimento da economia. Portanto é preciso atuar em um ambiente que estimule a criação de novas empresas competitivas e sustentáveis. Neste contexto é que a semana empreendedora da FAI pretende dar suporte. A Semana Empreendedora representa um movimento social de mostrar a capacidade individual do aluno empreender, no processo de iniciar e gerir empreendimentos e despertar o espírito empreendedor.
O enfoque da semana servirá para que possamos refletir e caminhar para uma cultura diferente da cultura do concurso e do emprego. Às vezes os jovens saem prontos para fazer um currículo, mas não para montar uma empresa, por isso, o referido evento será importante para os acadêmicos da FAI e comunidade interessada em empreendedorismo.
Ainda podemos afirmar que a Semana Empreendedora se justifica, com o intuito de oferecer aos alunos da FAI, orientações para a promoção de novos negócios, através da integração da teoria, prática e disseminação da cultura empreendedora.
A realização da Semana Empreendedora visa ainda a integração da Faculdade com a comunidade Iporaense e regional, com vistas a identificar interesses complementares e a aproximar sua oferta das demandas locais e ainda contribuir para o desenvolvimento da mão de obra e soluções fundamentais no estoque de conhecimento da Faculdade.
O evento busca promover o conhecimento e a disseminação de pequenos, médios e grandes empreendedores para a comunidade acadêmica, além de criar internamente no alunado o interesse em participar de novos negócios, através da integração da teoria à prática e a disseminação da cultura empreendedora universitária de forma permanente, envolvendo a comunidade e o entorno em que vivemos para pensar nas soluções para os problemas atuais na construção de um futuro desejado por todos. 
O público alvo da Semana Empreendedora são os acadêmicos da IES e também de outras instituições de ensino, empresários, professores, funcionários, representantes de entidades e futuros empreendedores de nossa cidade e região. 
A semana empreendedora acontece sempre no segundo semestre do ano, onde será exposto à toda comunidade acadêmica, palestras, minicursos, projetos, painéis, stands com representações comerciais, atendimentos de saúde e realização de exames através da “carreta da saúde”. Para que esse tempo destinado a mais um encontro de conhecimento seja respeitado e leve a toda instituição um novo despertar para o desenvolvimento de estratégias de administração, marketing, negócio, ética, e tudo mais que fomentar a questão empreendedora que nos é necessária.
Os fatores que nos levam acreditar que o início do movimento empreendedor deve partir da fase acadêmica é cada vez mais forte e permite que o aluno saia da faculdade um passo à frente, quando se tratar de alinhamento entre teoria e prática. Esse projeto permitirá que a sociedade possa receber novos negócios inseridos na região do Oeste Goiano, como também a oportunidade de se transformarem em um destaque nacional no segmento empresarial.
O evento será realizado no auditório da FAI com capacidade para mil pessoas, e os minicursos serão realizados em salas de aula com capacidade para 30 á 40 pessoas (cada). Os Stands serão montados no pátio da FAI para melhor acessibilidade por parte do público alvo.